Congresso Geriatria

Conjunto Moderno da Pampulha

casa-do-baileO Conjunto Arquitetônico da Pampulha foi projetado por Oscar Niemeyer, sob encomenda do prefeito Juscelino Kubitschek, e construído entre 1942 e 1944.

Juscelino desejava desenvolver uma área ao norte da cidade, chamada Pampulha. Encomendou então ao jovem e já reconhecido arquiteto, Oscar Niemeyer, o projeto de um conjunto de edifícios em torno do lago artificial da Pampulha: um casino, uma igreja, uma casa de baile, um clube e um hotel. À exceção do hotel, o conjunto se concretizou com a inauguração em 16 de maio de 1943, nas presenças do presidente Getúlio Vargas e do governador do estado de Minas Gerais, Benedito Valadares. O casino se tornou o Museu de Arte da Pampulha em 1957.

Em 2013, a prefeitura de Belo Horizonte manifestou interesse em apresentar a candidatura do Conjunto Arquitetônico da Pampulha a receber o título de Patrimônio Mundial da UNESCO. Em 17 de julho de 2016, o local passou a ser considerado um Patrimônio da Humanidade após reunião de membros da Unesco. Desde então o MAP está passando por uma  grande reforma durando dois anos e duas praças da região terão seus projetos de paisagismo recuperados. 

Praça do Papa

praca-do-papa“Que belo horizonte!”. Esta frase foi dita por ninguém menos que o Papa João Paulo II, diante da paisagem vista da Praça Israel Pinheiro, no alto das Mangabeiras. Depois da missa campal, realizada em 1980, passou a ser chamada de Praça do Papa, onde foi erguido um monumento para homenagear o ilustre visitante. 

Cercada pela Serra do Curral, a praça é um belo lugar para passear e apreciar a vista panorâmica da cidade.

Fonte: belohorizonte.mg.gov.br

A Cidade de Belo Horizonte

conhecabh


Belo Horizonte foi a primeira cidade planejada do Brasil e foi inspirada em cidades modernas como Paris e Washington, isso pode ser viso em detalhes como cruzamentos em todos os quarteirões, um parque no centro da cidade e canteiros e ruas da cidade floridos e cheios de árvores.

Mercado Central

mercado-centralTemperos, aromas, sabores, crenças, cores: todas as características mais marcantes da cultura mineira dão charme e muita personalidade ao mercado mais querido de Belo Horizonte.  Há mais de oito décadas, o Mercado Central é ponto turístico para quem vem de fora e ponto de encontro para quem vive na cidade.

Nesse tempo, deliciosos pratos da comida típica, diferentes formas de religiosidade, toda a criatividade e delicadeza do artesanato e muitos outros preciosos traços da cultura popular mineira fazem do Mercado Central um espaço único, que une tradição e contemporaneidade e encanta por sua singularidade.

Fonte: mercadocentral.com.br


Temperos, aromas, sabores, crenças, cores: todas as características mais marcantes da cultura mineira dão charme e muita personalidade ao mercado mais querido de Belo Horizonte.  Há mais de oito décadas, o Mercado Central é ponto turístico para quem vem de fora e ponto de encontro para quem vive na cidade.
Nesse tempo, deliciosos pratos da comida típica, diferentes formas de religiosidade, toda a criatividade e delicadeza do artesanato e muitos outros preciosos traços da cultura popular mineira fazem do Mercado Central um espaço único, que une tradição e contemporaneidade e encanta por sua singularidade.